Harvesting Effects and Population Ecology of the Buriti Palm (Mauritia flexuosaL. f., Arecaceae) in the Jalapão Region, Central Brazil1

    loading  Checking for direct PDF access through Ovid

Abstract

Buriti palm is used for several purposes in Jalapão, Brazil, among which harvesting of young leaves has the greatest potential impact on palm populations. This work aimed to (i) assess buriti palm uses, (ii) identify experimentally the impacts of young-leaf harvesting on growth, survival, and leaf production of individuals, (iii) evaluate density and structure of buriti populations at different distances from a local harvester community, and (iv) quantify the fiber yield of young leaves. We conducted 21 interviews, sampled six buriti palm populations, and monitored 60 buriti individuals to evaluate the impacts of harvesting young leaves. The harvesting practices of artisans did not affect the survival, leaf production, or growth of buriti individuals. The buriti palm is abundant and has a “reverse J” population structure, indicating population regeneration. However, some signs of overexploitation were pointed out by local harvesters and observed in the field; therefore, we recommend management practices that would contribute to sustainability, such as harvesting young leaves from individuals with a large number of mature green leaves, and harvesting young leaves in sites far from the communities.

Buriti é usado para inúmeras finalidades no Jalapão, dentre elas, o extravismo de folhas jovens tem o maior potencial de impacto nas populações. Este trabalho teve por objetivos (i) descrever os usos do buriti, (ii) testar impactos do extrativismo de folhas jovens no crescimento, sobrevivência e produção de folhas dos individuos, (iii) caracterizar a densidade e estrutura de populações em veredas a diferentes distâncias da comunidade da Mumbuca, e (iv) quantificar a produção de fibras obtidas das folhas jovens. Fizemos 21 entrevistas com extrativistas, amostramos seis populações de buriti e monitoramos 60 indivíduos para avaliar os impactos do extrativismo. O extrativismo não afetou a sobrevivência, a produção de folhas e nem o crescimento dos indivíduos. As populações de buriti são abundantes e tem estrutura em formato de J invertido, o que facilita a regeneração. Sinais de superexploração foram identificados por artesãos e verificados em campo, por isto, recomendamos algumas práticas de manejo que podem contribuir para a sustentabilidade do extrativismo, como coletar folhas jovens de indivíduos com maior número de folhas maduras e em veredas mais distantes das comunidades.

Related Topics

    loading  Loading Related Articles